40 perguntas bizarras feitas em entrevistas de emprego (Parte I )

ENTREVISTA

Pesquisadores da Development Dimensions International perguntaram a 2 mil profissionais de 28 países quais eram as questões mais estranhas feitas por recrutadores

A ansiedade já é inerente à situação. Estar cara a cara com o recrutador em uma entrevista de emprego pode deixar muita gente suando frio de nervoso. Mas tudo pode piorar quando o entrevistador faz uma pergunta, digamos, totalmente absurda.

É o caso destas questões colhidas pela consultoria de recrutamento e desenvolvimento de talentos. A equipe da DDI perguntou para cerca de 2 mil profissionais de 28 países quais foram as perguntas mais estranhas que eles ouviram de recrutadores em 2012. O resultado é um apanhado de questões verdadeiramente bizarras e sem propósito.

Para especialistas brasileiros perguntas muito íntimas já indicam que o recrutador está indo longe demais, afinal a privacidade do candidato deve ser sempre preservada e o entrevistador não pode ser invasivo.

O objetivo do estudo da DDI é revelar o despreparo de alguns recrutadores para realizar entrevistas de emprego. De acordo com a pesquisa, menos de 1 a cada 3 diretores considera que seus gerentes possuam habilidades para conduzir um processo seletivo de alto nível.

E, pelo teor das perguntas, eles estão certos. Confira os maiores absurdos proferidos durante entrevistas de emprego, segundo os entrevistados pela DDI nesta primeira parte com 20 perguntas, na próxima semana as outras 20!

As perguntas de entrevista de emprego mais bizarras de 2012:
1- Você já foi a uma discoteca
2- Você gostaria de ser uma pessoa famosa?
3-Posso ver a sua carteira?
4- O quanto você ama o dinheiro?
5- Discuta a Guerra Fria e a queda do muro de Berlim ( feita em uma seleção para gerente de varejo)
6- Descreva a vida sexual
7- Você tem um passarinho?
8- Você clareia os dentes?
9- Você acredita em vida fora do planeta Terra?
10- Você tem planos de se casar ou ter filhos no ano que vem?
11- Você é muçulmano?
12-Você é gay?
13- Você é racista?
14- Você é heterossexual ou bissexual
15- Quais habilidades de liderança são necessárias para cozinhar um frango?
16- O que você faria se alguém desse um tapa em você?
17- Você se dá bem com a sua sogra?
18- Como você se sente em relação aos gatos?

19- Você é bom em escolher mulheres?

20-Qual o nome do seu cachorro?

 

fonte: Exame

E aí RH? Anda fazendo perguntas como essa nas suas entrevistas? Cuidado com os limites!

 

Marketing Pessoal: Diferencie-se dos outros, saiba “se vender” corretamente

Fazer bom uso da imagem e ter iniciativa ajudam o profissional a se destacar

Diversas vezes fui indagado por alunos ou colegas de trabalho sobre se o Profissional que faz uso do Marketing Pessoal não seria um “exibido”, “carreirista” entre outros nomes pouco elogiáveis.

A verdade é que para mim aquele que faz BOM uso dessa estratégia  não “errando a mão” ou seja exagerando nessa venda de imagem está sendo um profissional inteligente pois se o cenário nas empresas é de competividade você precisará ressaltar seu diferencial.

O Marketing Pessoal vai muito além de ficar falando bem do seu trabalho para todos que cruzam seu caminho. De fato, o profissional, além de trabalhar duro e entregar resultados, precisa ‘vender seu peixe’, porém, é preciso ter muito cautela nesse processo.

De acordo com o gerente da área de petróleo e gás da Hays, Bruno Fonseca, o marketing pessoal será mais importante em determinadas áreas do que em outras. Nos campos mais técnicos, por exemplo, onde existem indicadores sólidos de performance, o marketing pessoal não será tão necessário. Já naqueles em que o resultado do trabalho “aparece menos” , será preciso se vender melhor.

Antes do Marketing Pessoal

Para realizar um bom marketing pessoal, o profissional precisa, antes de tudo, se conhecer e conhecer o seu trabalho. Segundo Fonseca, o primeiro passo para uma boa venda pessoal é começar avaliando seus pontos fortes e fracos. “Ele precisa fazer uma análise do seu trabalho, das suas competências e habilidades; Descobrir quais são seus desafios e aonde ele é verdadeiramente útil”, diz Fonseca.

Em um segundo momento, após se conhecer bem, ele deve escolher um objetivo. “Ele deve entender para onde quer ir; Qual a sua meta”, diz. Pois bem. O próximo passo é olhar ao seu redor. Aqui, a sugestão é que o profissional faça uma pesquisa de mercado, analisando seus pares, ou seja, entender como aqueles que estão no mesmo nível que ele estão atuando.

“Selecione alguns profissionais que considere referência no seu campo de atuação e veja o que eles fizeram até agora; Se compare com eles; Entenda do que você precisa para se aproximar dessas pessoas”, sugere Fonseca. O objetivo é descobrir o que você precisa para também se tornar uma referência, para crescer.

Com tudo que você descobriu até aqui, é hora de tomar algumas decisões. Com base nos dados que você coletou sobre sua própria vida profissional, defina as mudanças necessárias. Defina um projeto de carreira.

Nesse processo, é muito útil coletar feedbacks, de todas as pessoas que trabalham com você, seja subordinados, chefes ou pares. Peça que eles avaliem você e seu trabalho.

Após ter observado todos esses aspectos, você saberá quem são os profissionais para os quais você deverá direcionar seu marketing pessoal.

O Marketing Pessoal na entrevista de emprego:

Assim como é preciso se promover na empresa através do marketing pessoal, em um processo seletivo é preciso de certos cuidados para não manchar sua imagem. Confira os pontos chaves para impressionar na entrevista de emprego:

– Seja pontual;

– Cuidado com a roupa;

– Tenha uma postura – linguagem corporal – profissional. Ou seja, cuidado com a maneira de se sentar, de falar e de olhar. Até mesmo a forma como aperta a mão do recrutador pode ser trabalhada;

– Quando for falar de você, seja o mais claro possível a respeito dos seus objetivos profissionais. Saiba claramente o que você quer.

Siga corretamente essas orientações e faça um bom Marketing Pessoal

com informações do Portal Administradores