Divulgação de vaga para Engenheiro com salário de R$ 3.000,00 gera polêmica no Linked In

salario achatadoAfinal, o que está havendo com a questão salarial no Brasil?

Deparei-me com uma postagem que gerou bastante polêmica na Rede Social LINKED IN nessa semana: Um membro da rede estava indignado com um email que recebeu com a oferta de uma vaga para profissional de Engenharia para atuar em Fortaleza – Ceará.

As exigências da vaga em contrapartida ao salário oferecido geraram diversas manifestações que achei pertinente compartilhar aqui no Opinião RH com os leitores e colegas da área de RH.

O que me causou o questionamento do subtítulo acima. O que está ocorrendo com os salários do Brasil? Isso é reflexo da crise ( que está atingindo mais fortemente alguns setores), disparidades regionais ou falta de bom senso?

A referida vaga pede que o candidato seja “especialista” , tenha  “inglês fluente” e “experiência na área de projetos” .. mas tem mais! Ainda se solicitava que tivesse “condução própria” e “disponibilidade para viajar”.

A postagem gerou mais de 376 “curtidas” e cerca de 208 comentários! Em sua grande maioria de indignação quanto a remuneração ofertada em relação a todas as exigências da vaga.

Abaixo alguns dos comentários  (não identificarei os autores por questões éticas):

salario“Poxa! Contrata o cara em regime de PJ e da uma turbinada para ambos já que quer economizar, agora postar um salário destes para as qualificações exigidas é como querer andar de Ferrari pagando por um fusca!”

“Tá de Brincadeira…querem profissional qualificado com salário de ensino médio completo…..”

“Isso é um absurdo !! Não podemos nos submeter ao que o mercado nos impõe. #valorizaçãoprofissional”

“É exatamente por isso que eu saí da Area Industrial…passei a trabalhar como Engenheiro de Obras e estou cursando Eng. Civil…Se pudesse ficava somente na Eng. Mecanica…mas na area industrial querem contratar como Analista, Especialista, Supervisor…para pagar menos que o Piso Salarial do Engenheiro…muito triste essa realidade !!!”

“Caros amigos, acredito que ocorreu um equivoco no salário mencionado no anúncio. Eles devem ter confundido a função de Engenheiro com Pedreiro.”

“Ora pessoal vocês andam desatualizados, pois desde 2012 os salários vem caindo e as exigências aumentando. Quanto maior a experiência, conhecimento e função menor é o salário pago. E pior, quando não há profissionais que se sujeitam a estes absurdos algumas empresas e o próprio governo tendem a dizer que não há profissionais altamente qualificados no mercado de trabalho. Acostumem-se ou então se reinventem! “

“Isso acontece muito quando temos um recém formado que precisa entrar na área e não consegue um emprego por falta de experiência, acaba aceitando essas condições para adquirir experiência e evoluir futuramente. Infelizmente essa é uma realidade para muitos”

________________________________________________________________________

Estaria o mercado sendo “inundado” por recém formados dispostos a qualquer ganho em troca da tão exigida “experiência”?

A região onde a vaga está sendo disponibilizada pode ter interferência no salário exigido?

Penso que as empresas podem estar aproveitando esse início de crise, afinal os números do desemprego subiram significativamente no último levantamento, e com maior oferta de profissionais, achatando remunerações. Tradicionalmente a região Nordeste oferece salários menores que as regiões Sudeste e Sul, isso pode ter influenciado também. Mas acima de tudo vamos falar de “bom senso”, o curso de Engenharia em questão (assim como outros) demanda um grande investimento em horas de estudo, estágios e financeiramente mesmo falando no caso das altíssimas mensalidades praticadas pelas Universidades. Então depois de formado se deparar com baixas remunerações é um contra senso sem sombra de dúvida.

O autor da postagem ainda finalizou com um pensamento muito interessante do mago Peter Drucker: “Não creiam que mão-de-obra barata ainda seja uma vantagem”.

Gostaria da opinião dos leitores na sessão “Comentários” logo abaixo, basta clicar. Além do voto em uma enquete que pretendo tornar como fonte de estudo para “cases” futuros para nossa área de RH. Participe!

 

 

Anúncios

8 pensamentos sobre “Divulgação de vaga para Engenheiro com salário de R$ 3.000,00 gera polêmica no Linked In

  1. Boa noite. Obrigado por ajudar a fomentar esse tipo de discussão. Penso que esse meu caso não é algo isolado. Alguns a favor, outros contra mas é de extrema importância que temas assim sejam discutidos, só assim iremos evoluir como sociedade.

  2. Penso que faltam opções na enquete. Eu não responderia nenhuma das 3 opções. Certamente eu não diria que as exigências estão de acordo pois existem fatos ainda piores do que o citado. Não diria também que estão sempre em desacordo, acredito que são inúmeras variáveis que não dependem somente de estarmos ou não em crise. Quantas vezes já fomos convidados a concorrer a uma vaga e ao realizarmos a entrevista percebemos que a empresa de fato não sabe exatamente o que está buscando. Será que nossa parte é apenas reclamar? Sugiro uma abordagem diferente: se vc acredita que tem as habilidades e pode fazer diferença para esta empresa, mesmo que não concorde com o salário, participe do processo. Faça com que a empresa perceba em vc o quanto ela pode ganhar. Ao final, se avançar no processo, negocie sua pretensão. Toda empresa tem o direito de querer um profissional perfeito por quanto ela oferece, mas nós como candidatos só podemos cobrar por valorização após demonstrarmos o nosso valor. Claro, não adianta negociarmos de 3k para 20k, mas esta é a minha opinião. Nós precisamos agir para fazer o mercado mudar, e somente reclamar talvez gere mobilização mas não resolve o problema.

    • Bruno excelente participação, a enquete nós simplificamos pois como você mesmo disse as variáveis podem ser infinitas, nosso objetivo nesse momento é a percepção “macro” da situação, depois o aprofundamento, mas suas observações são muito pertinentes e reflexivas, obrigado pelo seu comentário!

  3. Sou formado em Eng. Química pela USP e á um ano e ainda não consegui entrar no mercado de trabalho. Sou de família pobre e sempre estudei em escola pública, por isso não tive condições de investir na minha carreira, tenho inglês intermediário e ainda não possuo CNH. Me mantive fora de casa graças a bolsas para alunos de baixa renda oferecidas pela própria universidade. Eu adoraria aceitar essas vagas de 2,5 mil, 3 mil, que, para recém formado acharia muito justo, mas eles querem que você tenha experiência de engenheiro senior pagando salário de analista. O é a incoerência do salário com as exigências. Não encontro oportunidades para recém formados e daí me pergunto: como conseguir experiência sem ter uma oportunidade do primeiro emprego? E como investir na minha empregabilidade como cursos, idiomas, CNH e pós graduação sem renda? Não sei como e nem quando vou começar minha carreira desse jeito.

    • Walney muito oportuno o seu comentário, pois ele reforça outra discrepância dos processos seletivos: A exigencia da experiencia ofertando em contra-partida uma remuneração “junior”. Somente organizações com estrutura e programas modernos de “trainees” alinhados com o mercado poderiam corrigir essa variável. Precisamos ter mais sensibilidade por parte dos empregadores também nesta questão, afinal o programa de estágio por si só não abre todas as portas necessárias. Grato por sua participação, muito boa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s