Como lidar com funcionário “reclamão”

RECLAMAOUm funcionário que só reclama pode ser muito prejudicial em qualquer ambiente de trabalho. Veja como lidar com essa situação antes que seja tarde demais.

O perfil é conhecido: a pessoa não cansa de criticar a empresa onde trabalha, encontra mil motivos para não fazer o que é necessário e de quebra ainda influencia quem está ao seu redor, gerando um péssimo clima para trabalhar. É o famoso reclamão.

Você já deve ter encontrado alguém assim em sua vida profissional. Eles sugam nossa energia, comprometem o clima e afetam até mesmo a qualidade de vida das equipes.

Se você por acaso contratou um reclamão para a sua empresa, existem diversas formas de lidar com a situação – as saídas vão da autoanálise do próprio reclamão com atuação dos RH’s à demissão do funcionário problema.

1 – Avalie se o problema não é você

Quando o assunto é um funcionário problema, a solução mais ouvida é “livre-se dele”. Porém, a Gestão Moderna de Pessoas não reza por essa cartilha.

O mais comum é dizer “demite!”. Como se o problema fosse só o empregado. Mas eu indico fazer uma reflexão pra ver se aquela pessoa não está trazendo uma queixa fundamentada.

É possível que a reclamação aponte para comportamentos pouco saudáveis do próprio Líder, Patrão ou Gerente, enfim, e que podem inclusive atrapalhar o negócio. Ele pode ser um chefe muito centralizador, ou até injusto, do tipo carrasco que nunca dá aumento de salário, ou promove melhorias e ouve sua equipe.

Uma autoanálise sincera pode revelar que o problema não está no funcionário e sim no comportamento das lideranças, o RH pode ajudar muito nessa questão.

2 – Reveja seu processo de seleção

Se a sua empresa tem um funcionário que só reclama, alguém o selecionou para estar ali. Sendo assim, ao se deparar com um problema na equipe, é importante que a Gerência  questione se está dando a devida atenção ao seu processo de recrutamento.

Uma seleção mal feita gera dores de cabeça no futuro, já que pode ser necessário demitir a pessoa mal selecionada, gerando prejuízo e desgaste. As pessoas não investem tempo na porta de entrada e isso depois se reflete em problemas, por trás de toda empresa com alta rotatividade, podem haver além de problemas internos, um processo ruim de seleção.

3 – Tenha uma conversa clara

Se os comportamentos foram avaliados  e também foi feita uma análise do processo de seleção, é hora de focar no comportamento do tal funcionário reclamão.

Após observar atentamente como ele se comporta, chame-o para uma conversa franca, aconselha Alexandre Rangel, da consultoria Alliance Coaching.

O especialista conta que recentemente prestou consultoria a um gestor com esse problema. “Ele tinha uma funcionária que só reclamava e estava inclusive minando o comportamento dos demais colegas. Depois de um tempo de observação, ele a chamou para uma conversa”.

Segundo o consultor, é importante começar essa conversa levantando pontos positivos daquele funcionário, para só então falar do que precisa ser mudado. Já na hora de falar dos problemas, seja claro.

“É necessário ser objetivo. No caso desse gestor, ele levou três exemplos de momentos em que o comportamento da funcionária prejudicou o trabalho, quando na realidade o alvo da reclamação era algo pequeno”, continua Rangel.

Por fim, é interessante mostrar para esse funcionário o que ele pode ganhar se mudar de atitude.

4 – Nunca se altere

Rangel explica que é fundamental que a Gerência não se exalte quando estiver frente a um problema como esse.

“Esse gestor que me procurou contou que, como a situação estava difícil, ele estava começando a alterar a voz, a agir com agressividade. Isso nunca é positivo”, afirma. Segundo o especialista, o ideal não é medir forças com o funcionário reclamão, mas sim conversar de forma objetiva.

“Num ambiente de trabalho, a bronca não leva a nada. Ao contrario, só gera o afastamento do funcionário e até mesmo o sentimento de vingança. O ideal é a conversa num tom brando e firme, com ações efetivas”, aconselha.

5 – Se nada der certo, demita

Caso a estratégia da conversa não dê resultado após algumas tentativas, a saída é a demissão.

“Se a situação persistir, a demissão pode ser a saída. É a maçã podre. A pessoa reclamona vai atraindo outros insatisfeitos, e isso deteriora a liderança da chefia. Quando vê, ele já perdeu o pulso”, explica Rangel.

O efeito contaminação existe e essa medida extrema realmente deve ser tomada, se as tentativas de ajuste falharem.

6 – Não se confunda

Atenção! Antes de mandar seu funcionário embora, certifique-se de que se trata de fato de um reclamão.

Ás vezes, esse funcionário é apenas uma pessoa questionadora, que vê processos errados no negócio e faz questão de apontá-los de maneira firme. Neste caso, agradeça por ter alguém assim na equipe.

“A pessoa que enxerga uma falha e contesta o chefe, argumentando para convencê-lo, ela deve ser valorizada. Quem tem um funcionário assim é privilegiado. É uma maravilha porque todo mundo cresce”, afirma Rangel.

bloggif_580e021844191

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s