Como demitir um funcionário: o que fazer e não fazer

Demitir um funcionário não é uma tarefa fácil, ainda mais para gestores novos. Saiba o que fazer nesse momento

 

Você nunca pensou em ter de demitir um funcionário, mas… de repente, você conquista uma posição de liderança. Isso, você virou chefe, gerente, gestor, enfim, vai se sentar numa cadeira das mais cobiçadas no mundo corporativo e agora quem manda é você.

 

Muito bom, não é? Sensação de poder, orgulho e recompensa, além de maior visibilidade, uma mesa maior e às vezes uma sala só para você. Mas não se esqueça do ônus: carga de trabalho maior, ter de atingir metas, lidar com conflitos (muitos de interesse), planejar, acompanhar, cobrar e fazer a gestão de pessoas.

 

Esse trabalho desafiador, instigante, envolvente e trabalhoso, também é difícil e desgastante. Não há como negar. E é difícil porque, na maioria das vezes, não somos preparados para a gestão de talentos, apenas processos. E o que mais acontece é o melhor técnico ganhar a vaga de gerente sem nenhum preparo ou treinamento, e daí acontecem muitos erros, como a falta de preparo e sensibilidade para demitir um funcionário.

Como demitir um funcionário corretamente?

Desde que a psicóloga coach Fátima Motta começou a trabalhar na área de RH, viu a seguinte situação se repetir: o funcionário é chamado na sala do gestor, que fala meia dúzia de palavras com uma cara muito ruim – no máximo, diz que a empresa está passando por um momento difícil – e manda a vítima “descer lá no RH, para conversar sobre a situação”.

Como assim, o RH é quem vai conversar? Há dificuldade em assumir a missão para si, por respeito e consideração àquele que esteve trabalhando na empresa durante algum tempo. Não dá para transferir, triangular e se escorar no RH: o papel do gestor é lidar com situações difíceis como essa e tantas outras, não só se gabar e desfrutar de coisas boas.

 

O gestor que irá demitir um funcionário precisa se preparar para o momento com tato e respeito, sem pessoalizar, e de maneira que o colaborador perceba que está ouvindo uma razão da empresa.

A coach Fátima Motta ainda pede que nunca se porte com despreparo e falta de coragem ao ter diálogos assim:

  • Gestor: Quero te informar que, a partir de amanhã, eu não sou mais seu chefe.
  • Funcionário: Como, o senhor está saindo?
  • Gestor: Não, é você!

Sem palavras, né?

 

Quer saber mais sobre gestão de pessoas? Então confira essas estratégias de retenção de talentos.

Fonte: Vagas.com

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s