Como implantar um Programa de Reconhecimento e Recompensa (PRR)?

Ainda que grande parte dos gestores já tenha ouvido falar do termo Programa de Reconhecimento e Recompensa (PRR), saber como implantá-lo de maneira efetiva costuma ser um grande desafio.

É por conta disso que, vamos abordar no que consiste esse programa e quais são as principais informações que você precisa saber sobre ele.

O que é um Programa de Reconhecimento e Recompensa (PRR)?

 

Antes de entender como implantar um Programa de Reconhecimento e Recompensa, é imprescindível conhecer seu conceito de forma precisa (o que contribui para a redução de erros). De forma geral, trata-se de uma política específica para a valorização das equipes de acordo com critérios previamente estabelecidos pela organização.

Elas formam uma base de sustentação dos programas estruturados de remuneração variável. Isso faz com que, normalmente, estejam atreladas a programas de melhoria contínua nas organizações — o que auxilia na criação de um círculo virtuoso de ganhos que beneficiam tanto os colaboradores quanto a própria empresa.

Vale ressaltar, além disso, que os próprios termos utilizados já dizem muito sobre o programa. Enquanto o reconhecimento é uma ação que não necessariamente envolve um pagamento em dinheiro, podendo apenas congratular algum funcionário em relação a algo realizado, a recompensa costuma envolver pagamentos monetários e/ou retribuições com algo de valor.

Assim, as duas palavras se complementam e remetem justamente ao que essa política prega. Com sua adoção, as organizações visam não só reconhecer os aspectos que considera importante valorizar, mas recompensar, da forma que achar melhor, os colaboradores que se destacam.

Ao mesmo tempo em que o reconhecimento se manifesta por meio de elogios (públicos ou particulares), por exemplo, a recompensa se concretiza, normalmente, a partir de valores bônus no salário e entrega de presentes.

É importante lembrar, ainda, que esse tipo de programa costuma ser utilizado de forma independente do de bônus e participação nos resultados. A última modalidade tem como foco uma maior apuração de resultados semestrais ou anuais.

Como implantar um PRR em uma empresa?

Na maioria dos casos, a necessidade de reconhecer ou recompensar determinados colaboradores ou equipes é identificada pelos próprios gestores. Porém, é importante que essa decisão seja sempre pautada por programas formais, o que possibilita que fiquem claros e não gerem dúvidas ou insatisfações.

Nesse contexto, para implantar um PRR de forma efetiva, algumas premissas devem ser levadas em consideração:

  • vinculação do programa aos valores corporativos;
  • alinhamento à estratégia global;
  • congruência com a cultura interna;
  • impulsionamento de mudanças organizacionais;
  • associação aos indicadores de desempenho.

Se o programa está alinhado com todos esses tópicos, acaba sendo possível criar uma relação de causa e efeito entre a estratégia e a operação, o que forma um ciclo virtuoso rumo à melhoria contínua. Para tanto, o modelo concebido pela Nortegubisian segue as 4 etapas abaixo.

  1. Assessment

Nesta fase preliminar, realiza-se uma análise da estrutura corporativa. São identificadas as características essenciais sobre as quais o programa deve ser moldado e realizadas importantes análises. Algumas delas são: a avaliação da estrutura organizacional; o levantamento e a definição dos identificadores existentes.

  1. Desenho do modelo

Posteriormente ao estágio inicial, ocorre a fase de estruturação efetiva do PRR. Nesse processo, todas as regras devem ser cuidadosamente delineadas, o que requer uma dedicação constante por parte dos idealizadores para que o resultado não contenha brechas e, consequentemente, perca credibilidade.

Vale destacar que é imprescindível analisar se a empresa terá os recursos necessários para premiar os colaboradores de acordo com as regras estabelecidas.

  1. Detalhamento

Nesta parte, todas as regras do programa devem ser detalhadas, bem como sua lógica de funcionamento — incluindo a descrição de premiações, gatilhos, indicadores e metas.

Para tanto, é recomendada a construção de procedimentos e instruções de trabalho que vão compor a política de remuneração variável da empresa. Em alguns casos, inclusive, faz-se necessária a realização de reuniões junto ao sindicato das categorias para a apresentação, o alinhamento e a validação do PRR.

  1. Implantação

Por fim, tem-se a etapa de implantação. Nela, devem ser feitas a divulgação extensiva do programa para todos os participantes, reuniões com as equipes e uma apresentação geral das regras de funcionamento.

Recomenda-se, ainda, que os participantes assinem um termo de aceite das regras descritas na política oficializada. A compra da ideia por parte dos colaboradores é fundamental para que o programa obtenha sucesso.

 

Quais são os principais desafios envolvidos?

Agora que vimos quais são as principais etapas necessárias para se implantar um PRR, é hora de entender os desafios mais enfrentados pelas empresas na adoção de programas do tipo.

Para o sucesso da implantação, é fundamental identificar os riscos que podem comprometer o entendimento futuro das condições de participação nos resultados obtidos. É por conta disso que a atenção dos colaboradores na criação do programa deve ser bastante valorizada.

Caso uma equipe consiga cumprir sua meta e apresentar bons resultados específicos, mas que, ainda assim, afetem outras áreas, a forma de recompensa não deve ser desvinculada. Portanto, um grande desafio para a implantação de um PRR efetivo é fazer com que as metas sejam complementares umas às outras.

Em meio a isso, o ideal é que seja levantada a maior quantidade de consequências possíveis, o que auxilia, inclusive, na elaboração de planos de ação que não deem resultados ilusórios à empresa.

Outro desafio enfrentado diz respeito à própria personalidade dos funcionários que serão afetados. Se os programas das diferentes áreas contarem com níveis destoantes de exigência, por exemplo, os PRRs, em vez de motivarem, podem frustrar o os colaboradores.

Dessa forma, a adequabilidade sobre cada área deve ser pensada com bastante cuidado. Isso é fundamental para gerar a satisfação do time, já que se cria uma sensação de justiça que, na prática, acaba contribuindo para a diminuição do turnover da empresa.

Por que o PRR é importante para uma empresa?

Resumidamente, o PRR pode ser de extrema importância para uma organização, pois, quando empregado de forma cuidadosa, acaba privilegiando o mérito e a dedicação dos colaboradores.

Nesse contexto, as empresas que trabalham com o programa acabam se pautando em um processo de alavancagem profissional e social que decorre dos méritos individuais de cada pessoa (ou seja: de seus esforços e dedicações).

Dessa forma, as posições hierárquicas ficam condicionadas às pessoas que apresentam os melhores valores educacionais e morais, além de aptidões técnicas ou profissionais específicas. Isso propicia uma percepção mais positiva dos próprios afetados, já que os benefícios se pregam em medições meticulosamente definidas.

Essa filosofia tem sido cada vez mais utilizada pelas organizações, uma vez que possibilita a atração e a retenção de talentos. De modo geral, os principais objetivos das empresas são: propiciar o desenvolvimento, atender aos resultados do negócio e dar fomento à evolução da carreira dos profissionais.

Quais são os benefícios de implantar o PRR?

Como você pôde observar acima, os PRRs são, normalmente, considerados excelentes impulsionadores dos resultados de uma empresa.

Fazer com que os colaboradores participem dos processos de sugestões e ações incentiva cada vez mais a criatividade de todos. Assim, tona-se mais fácil identificar novas oportunidades de melhoria nos indicadores das empresas.

Ou seja: o PRR é, também, um impulsionador de resultados. Isso porque, quando você faz as pessoas participarem dos resultados, elas são estimuladas a ter cada vez mais criatividade para identificar os pontos de melhoria.

De forma ampla, pode-se dizer que o PRR é uma das práticas de motivação das pessoas rumo à identificação de oportunidades de melhoria — o que acarreta um ciclo virtuoso e, inclusive, benefícios financeiros para os negócios.

Os principais ganhos que podem ser destacados são:

  • direcionamento e foco nos indicadores e resultados da organização;
  • desenvolvimento das equipes de trabalho;
  • motivação e engajamento;
  • transparência em relação às metas e aos resultados esperados;
  • aumento de performance das equipes e da própria empresa;
  • satisfação dos clientes;
  • atração e retenção de talentos;
  • competitividade saudável atrelada a resultados.

 

 

Estas são algumas informações que o time de consultores do IVENS – Instituto Vocare de Ensino gostaria de disponibilizar a todos.

 

Conheça-nos no www.ivenseducacional.com.br ou fale conosco no marketing@ivenseducacional.com.br , 11 4402 4169 e siga-nos no facebook e instagram.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s