Impactos da Reforma Trabalhista para as empresas

Quatro motivos que evidenciam que treinamento vale a pena em qualquer situação

A Reforma Trabalhista está vigente desde o final de 2017 e o assunto gerou muita discussão sobre os impactos para os trabalhadores. Mudando a ótica, este post propõe um olhar sobre os impactos para as empresas, especificamente para as áreas de Recursos Humanos e Departamento Pessoal. A relação destes departamentos com a CLT é inquestionável. Aliás, o surgimento histórico de ambos tem laços estreitos com a Lei do Trabalho. Logo, é senso comum de que a Reforma Trabalhista provoque um grande impacto nestes setores das empresas. Por isso, a ideia aqui é discutir as necessidades decorrentes do impacto e seus diferentes níveis de profundidade.

De imediato, foi preciso entender as variações entre a lei anterior e atual para adaptar processos e decisões. Além das questões práticas, o momento da transição pode gerar um impacto estratégico importante nas empresas. Em um nível básico, as mudanças são reconhecidas e aplicadas. Em um nível médio, há atenção para possibilidades de melhoria com a mudança. Porém, em um nível avançado, a transformação é ampliada por meio do aproveitamento e criação de oportunidades para avanço gerencial.

A fim de se adequar às mudanças e de otimizar a Reforma, a Techware designou especialistas para estudar e entender o texto em profundidade e, assim, identificar quais os impactos para o Rhevolution (sistema de folha de pagamento da Techware), para as empresas e também quais as oportunidades e possibilidades relacionadas às modificações. Um ponto muito positivo neste processo foi a ratificação da abrangência, robustez e flexibilidade do Rhevolution. Das 100 alterações identificadas, apenas 8 exigiram o desenvolvimento de aplicações, reforçando a abrangência e profundidade da solução. Inclusive, vale detalhar que as novas aplicações foram resposta às novidades da Lei, como regime intermitente e demissão por acordo.

Exemplos do impacto da Reforma Trabalhista na prática

Provavelmente, todas as empresas e seus respectivos RHs e DPs tomaram ciência de que a nova CLT regulamenta o modelo Home Office. Quem foi além e observou as mudanças como potenciais melhorias, estudou se as vantagens da aplicação do trabalho à distância seriam inteligentes para a empresa. Se haveria redução de custos, quais colaboradores teriam um modelo de atuação viável à distância, quais os impactos em gestão do espaço com menor necessidade de posições de trabalho, etc.

Outro aspecto que pode clarear o entendimento sobre a amplitude dos impactos da Reforma Trabalhista é o aumento da complexidade gerencial. Uma característica percebida na visão geral é a ampliação de possibilidades de contratos de trabalho, de rescisão e até fracionamento de férias. Para o RH e para o DP isso significa um aumento nas variações de gerenciamento, que pode ser positivo ou negativo. Até porque a lógica é simples, se há mais opções de caminhos a seguir, processos e tecnologias precisam acompanhar a evolução. Sob este viés, os impactos à empresa, ao RH e ao DP podem provocar atividades adicionais, mas em contrapartida, também podem funcionar como válvulas propulsoras para transformações orientadas pelas estratégias do negócio. Basta decidir se o impacto será sentido ou se será refletido.

 

Fonte: Profissional & Negócios

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s