Vícios que você precisa eliminar de sua redação

rosangelaA consultora empresarial Rosângela Cremaschi, em entrevista à Revista Exame, faz considerações importantes sobre alguns vícios que precisam se eliminados pelos profissionais que querem escrever melhor.

A excelência na escrita tem impacto direto sobre a carreira. É comum que ela se traduza em promoções, aumentos salariais e impacto no mercado de trabalho.

No entanto, algumas construções e expressões mal colocadas podem deixar o texto confuso, com ambiguidades na interpretação ou mesmo demonstrar falta de conhecimento da norma culta da língua portuguesa.

Portanto, fique atento a alguns vícios que precisam ser eliminados na linguagem oral e escrita pelos profissionais que prezam pela qualidade da comunicação:

  • Expressões “difíceis” – Quem nunca ouviu (ou falou) algo do tipo: “Essa questão deve ser discutida junto ao departamento de RH.”? A expressão “junto a” significa “perto de”. Pode até parecer mais culto dizer que você discutiu a questão junto ao departamento, porém isso não faz sentido. Escreva simplesmente que você a discutiu com o departamento.

 

  • Redundâncias – Alguns profissionais acreditam que, para que o leitor compreenda perfeitamente a mensagem, é necessário “reforçar” o texto com a repetição das informações. No entanto, esse vício faz com que o texto fique prolixo e o leitor perca o foco da ideia central.

Os textos empresariais exigem assertividade em sua redação – não há espaço para redundâncias e repetições indevidas.

Para evitar esse tipo de construção, articule as ideias em um pequeno esquema, evidenciando no início do texto o que é mais importante e depois, caso necessário, coloque os pormenores.

 

  • Ambiguidades – É muito comum a construção de frases com duplo sentido, que podem deixar o interlocutor em dúvida em relação ao sentido exato do texto. Veja no exemplo: “A diretora discutiu com o gestor o seu descontentamento com a equipe. O descontentamento é da diretora ou do gestor?

Para eliminar esse vício, a dica é “ler” o texto com o olhar do interlocutor. Para tanto, ao escrever, dê uma pausa e depois o releia, para que você possa perceber se o texto está claro, sem dupla interpretação.

 

 

  • Aspectos de padronização do texto – No ambiente corporativo, é muito comum agendar uma reunião ou evento. Para isso, os profissionais definem o horário e divulgam essa informação. Fique atento à grafia correta do horário:

O símbolo de horas é “h”, o de minuto é “min” e o de segundo é “s”.

Não há ponto depois de “h”, já que é símbolo e não uma abreviatura.

Para citar um período de duração, usa-se: das 9h às 10h30.

O símbolo “min” depois de minutos é optativo; será obrigatório apenas quando forem citados os segundos. Nas Olimpíadas, por exemplo, em uma prova de ciclismo: 1h15min10 ou 1h15min10s.

  • Erros de concordância – Os verbos “haver” e “fazer” são responsáveis por muitos erros no ambiente corporativo. Ambos são impessoais no sentido de “existir, “ocorrer” ou “tempo corrido”. Veja duas situações em que esses verbos foram utilizados de forma incorreta: “Fazem dois anos que esta empresa iniciou suas atividades.” (Correto: Faz) “Haviam muitos dados incorretos no relatório.” (Correto: Havia)

 

Leia a matéria completa em http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/6-vicios-que-voce-precisa-eliminar-agora-da-sua-redacao

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s