Está no trabalho certo? Faça essas 3 perguntas a você mesmo e descubra

insatisfeitaMuitos profissionais que estão insatisfeitos, ao se questionarem sobre os rumos da carreira, acabam ficando na superfície. Fuja disso! Veja dicas

“Should I stay or should I go?”, diz a música de The Clash que, em tradução livre, significa “devo ficar ou devo ir?”. Aposto que você já se fez essa pergunta alguma vez na vida – ou várias vezes ao longo do dia – em relação ao seu trabalho.
Pois é, a vida profissional pode enfrentar dúvidas e desafios e, pelo visto, a dúvida sobre estar ou não estar no trabalho certo é global. Segundo uma pesquisa realizada nos Estados Unidos, aproximadamente 70% dos profissionais americanos não se sentem engajados em seus empregos atuais. O que significa que 7 em 10 pessoas não estão ocupando a vaga ideal.

A verdade é que a maioria das pessoas que se questiona “se deve ir ou ficar” acaba escolhendo por permanecer no trabalho. Por isso, mais do que nunca, é importante entender por quê. Por que os profissionais insatisfeitos acabam decidindo ficar no emprego que não os inspiram? Bem, talvez seja porque eles esteja se fazendo as perguntas erradas…

De acordo com Laura Garnett, estrategista de desempenho e fundadora da empresa de Consultoria Garnett, ao site Motto, muitos profissionais que estão insatisfeitos, ao se questionarem sobre os rumos da carreira e o trabalho atual, acabam ficando na superfície.
Para a especialista, quando perguntamos a nós mesmos “estou ganhando dinheiro suficiente?”, “tenho segurança?”, “meus amigos e família estão orgulhosos de mim?”, “a companhia para que trabalho me faz parecer mais importante aos olhos alheios?” – estamos, simplesmente, sendo superficiais e, com isso, não descobrindo a resposta que pode nos fazer encontrar respostas verdadeiras, que nos traga felicidade e bem-estar profissional.

Afinal, as respostas para todas essas perguntas poderiam ser “sim” e nos dar a impressão de que deveríamos estar felizes com o que temos. Sabe quando você se acha ingrato por se questionar, já que “você algo, afinal”? E, na verdade, segundo Garnett, questionamentos assim nos barra o sucesso: medo, preocupação sobre o que os outros pensam, e crença de que dinheiro é o mesmo que ser bem sucedido. Este tipo de obstáculo vai manter você longe da verdadeira satisfação pessoal e profissional. Não se engane!

Se você já se questionou dessa forma, pode estar pensando: ok, então qual tipo de pergunta devo fazer para mim mesmo a fim de descobrir se estou no trabalho certo? A especialista apontou três essenciais. Veja e descubra:

1. Sou desafiado?
Você passa de 60% a 80% do seu tempo na empresa se sentindo engajado, desafiado e “com sangue nos olhos” para resolver problemas, criar projetos e fazer o que é realmente necessário? Pense nisso. E não espere que o trabalho certo é aquele que te mantém 100% do tempo motivado, isso não é realista. Nem ideal. Segundo Laura Garret, entre 60% e 80% é um número baseado pela experiência, alcançando um equilíbrio. Pergunte a si mesmo se está encontrando oportunidades de crescer – ou se está na chamada “zona de conforto”? Se a resposta for esta, então pode ser por isso que você está se sentindo entediado e não está no emprego ideal.

2. Sinto-me realizado?
O impacto do seu trabalho te faz se sentir motivado? Você torce até a última gota de energia em um projeto, mas sente-se motivado mesmo assim, já que o resultado do seu trabalho foi bem recebido pela sua equipe, por seus clientes e por você mesmo? Você, realmente, sente que existe um propósito para dedicar tantas horas da sua vida nisso?
Se suas respostas foram “não” para qualquer uma dessas reflexões, pois então deveria pensar bem no que anda fazendo… Se não existe uma motivação orgânica no trabalho, não haverá rendimento satisfatório – nunca!

3. Tenho um ambiente de trabalho que me permite prosperar?
Esta é uma pergunta importante. Muito importante. Você acha que seu ambiente de trabalho é saudável? Você se sente apoiado a ter ideias, a participar, a ser criativo? Sente que existe respeito e encorajamento? Você se sente completamente seguro sendo quem você é, sente-se motivado a acreditar e a lutar pelo que gosta?
Pode parecer secundário, mas o ambiente profissional influencia os profissionais direta e indiretamente todos os dias! Pense bem sobre isso.

Acredite, se você não se sentir motivado e desafiado, se não estiver satisfeito e se não tiver apoio dos colegas, será muito mais difícil usar todo o potencial que tem dentro de você.

Independente do que você decida sobre seu caminho profissional, é importante refletir sobre o que está realizando profissionalmente e se, realmente, sente paixão por fazer o que faz. Depois de pensar, a decisão de ficar ou sair é só sua. É você quem terá de descobrir se está no seu trabalho ideal, se quer tentar outra coisa, se deseja continuar apostando nesse caminho… Não se esqueça de que tudo isso vai depender de você, do que deseja e de como irá agir a partir de agora!

 

Fonte: Economia – iG 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s