Coluna Perfil: Eduardo Carmello e a Gestão da Singularidade!

Esta semana nossa Coluna Perfil traz um verdadeiro “fera” da Gestão de Pessoas: Eduardo Carmello

educarmello1Currículo: Diretor da ENTHEUSIASMOS CONSULTORIA EM TALENTOS HUMANOS;

Consultor Organizacional e Educacional especialista em Gestão Estratégica de Pessoas, trabalhando dentro do modelo de Competências com foco em Desempenho;

Coach certificado pelo ICC – International Community Coaching (Lambent do Brasil);

Docente convidado do MBA Gestão Estratégica do Conhecimento do SENAC/SP;

Autor dos livros “Resiliência: a transformação como ferramenta para construir empresas de valor“ (Editora Gente 2008) e Supere: a arte de lidar com as adversidades” (Gente – 2004).

Eduardo, em primeiro lugar o que é a “Gestão da Singularidade”?

Gestão da Singularidade é a capacidade que uma Organização/Gestor tem de maximizar os Resultados da sua Organização através da melhoria de Performance e Inovação de sua Equipe, construindo estratégias diferenciadas para talentos em níveis diferenciados de Performance, Engajamento e Conhecimento.
É um modelo evoluído de Gerenciamento de Gestores e de Equipes de Alto Desempenho, que exige mais profissionalismo e precisão no desenvolvimento, mobilização e retenção de seus Talentos, utilizando como princípio a Máxima de Aristóteles, que é conseguir oferecer o recurso certo, para a pessoa certa, na medida certa, no momento certo, pelo motivo certo e da maneira certa.
Não trata-se de conhecer características, personalidades e necessidades pessoais de cada colaborador, porque isso não necessariamente melhora a performance da equipe. A Gestão da Singularidade foca em oferecer orientação, engajamento e capacitação estratégica condizente com os níveis diferenciados de entrega, comprometimento e nível de conhecimento da própria Equipe.
A Gestão da Singularidade gera um impacto significativo no alcance das metas, assim como nos níveis de Engajamento e Conhecimento da equipe, pois capacita o Gestor na importante missão de oferecer orientação, engajamento e capacitação específica para que sua equipe seja mais produtiva e autônoma, expandindo suas capacidades de pensamento e ação, performando e inovando em patamares superiores de produtividade.

Você está lançando o Livro Gestão da Singularidade, fale sobre ele e quando estará disponível nas livrarias?

Entreguei o livro para a Editora agora em março de 2013. Ele passa por uma série de processos antes de ser finalizado. O lançamento deverá ser em julho de 2013.
Enquanto isso você pode conhecer os vídeos e artigos já desenvolvidos que estão tanto no site da Entheusiasmos Consultoria http://www.entheusiasmos.com.br/home.php e no Facebook.http://www.facebook.com/educarmello

Resiliência continuará sendo uma característica fundamental aos profissionais e empresas nesses novos tempos?

Sim, continua sendo uma das competências mais importantes para Gestores e profissionais que precisam lidar com constante mudança. Para 71% dos líderes corporativos, a resiliência é muito ou extremamente importante para determinar a retenção de talentos. É o que aponta um levantamento realizado pela Accenture com 524 executivos seniores de 20 países. Mas não pense que resiliência é só saber lidar com pressão.
A maioria das pessoas transpõe o sentido material/físico do conceito para o ser humano. E resolvem dizer que um profissional resiliente é aquele que aguenta pressão, que suporta adversidades, que se conforma com a situação. Dizem que o profissional tem que ser igual à ponte, elástico, silicone e por aí vai. Mas essa é uma versão incompleta da resiliência, pois trata o ser humano como um objeto, como um efeito de uma circunstância. Melhor utilizar a versão mais completa e proativa da palavra, que provém de sua etimologia (do latim ‘Resilie’ ou ‘Resalie’). ‘Silie’ significa ‘saltar’, ‘impulsionar para’. Já o prefixo ‘re’ quer dizer ‘novamente’; é o ato renovar, de reunião, de reencontro. Nesse sentido, o ser resiliente é aquele que está saltando continuamente, se renovando continuamente, transformando continuamente. É um ser impulsionado por um propósito maior, proativo e que constrói realidades, totalmente diferente de um objeto, que é o efeito passivo de uma adversidade ou crise.
Resiliência é a capacidade de:

– Promover as mudanças necessárias para atingir seus objetivos e os da empresa;

– Manter as competências e habilidades, mesmo diante das adversidades;

– Antecipar crises, prever adversidades e se preparar para elas;

– Ter firmeza de propósito e manter a integridade.

O profissional resiliente tem três principais características: ele é antenado no mercado e detecta os sinais de oportunidades, frente a mudanças ou adversidades, sem ficar só olhando para o lado ruim da situação; ele consegue entregar o que promete; e ele é capaz de promover mudanças estratégicas e entender seu valor.

 

Dentro desse princípio de Gestão da Singularidade, qual o papel do RH junto à empresa?

O RH, através da Gestão da Singularidade, oferece conhecimento para que os Gestores melhorem seus resultados através de sua equipe, em em 04 focos de atuação:

1) Ajudar o Gestor a melhorar os resultados da equipe, construindo práticas integradas de gestão (orientação, engajamento, capacitação) que maximizam os indicadores de entrega, engajamento e proficiência do conhecimento estratégico.

2) Avaliar os Talentos de sua equipe de forma mais precisa e profunda, desenvolvendo planos de melhoria e reconhecimento baseado nestes 3 diferentes níveis, com processos meritocráticos e justos, impactando no desempenho e engajamento da Equipe.

3) Construir feedbacks e capacitações específicas sobre como executar a estratégia, para os talentos de diferentes níveis de performance e engajamento, melhorando o conhecimento singular e coletivo da Equipe.

4) Aprimorar as competências do Gestor, posicionando e destacando-o como um verdadeiro Gestor Estratégico de Pessoas, através da aplicação ética e eficaz de suas práticas de Gestão.

Com tanta mudança e transformação qual conselho você daria para quem exerce cargo de liderança hoje em dia?

À medida que Mudanças e a Alta Complexidade atinge as empresas, onde o volume de trabalho só aumenta e a qualidade da entrega diminui, é imprescindível ter uma equipe madura e capacitada para atuar em Alta Performance, garantindo a execução perfeita de todos os detalhes que a Estratégia e a promessa da Marca desenharam como Valor aos seus clientes e acionistas. Milhares de empresas terão, cada vez mais, que entrar no olho do furacão da Complexidade e das Mudanças e enfrentar os “Grandes Mares” da Inovação. A missão terá sucesso se tiverem um bom barco (estrutura e modelo de gestão), um bom capitão (Líder) e uma tripulação (equipe) madura, hábil e que respeita os princípios da navegação Eficaz e Valorosa.
A realidade brasileira demonstra que talentos preparados, educados e com espírito empreendedor é coisa rara hoje em dia.
Mais do que precisar recrutar Talentos, você Líder precisará prepará-los para aprender rapidamente os conhecimentos que geram Valor para a empresa e para os Clientes. Saber como engajá-los, para que se comprometam com as mudanças e superem as barreiras e obstáculos com perseverança. Orientá-los para atuar de maneira eficaz e valorosa, preparando-os para alcançar e superar os objetivos da Organização.

A Gestão da Singularidade contempla como lidar com a geração “Y” e “Z” a fim de sua aplicabilidade?

Com todo o respeito, a Gestão da Singularidade não analisa as características das gerações, pois elas não necessariamente refletem a verdadeira performance dos talentos. Por exemplo, as características que tanto ressaltamos na geração “Y” e “Z”, rápidos, ágeis, tecnológicos, ávidos por conhecimentos, na verdade, são realmente manifestadas dentro das empresas por menos de 10% dos “jovens” que estão no mercado de trabalho.
Muitos “veteranos” da Geração “X” estão sendo recrutados pelas empresas, como consultores ou mentores, para repor o conhecimento e a experiência técnico/adminstrativa que a geração “Y” e “Z” não produziu.
Sustentabildade não se mede pela idade e sim pela competência.
O que o Gestor vai aprender e se beneficiar na Gestão da Singularidade é poder compreender como seus talentos, independente de qual geração se encaixa, podem desempenhar melhor, não pelas suas características ou estilos de personalidade, mas pela sua capacidade de entrega, engajamento e conhecimento. Enquanto você produzir conhecimento e idéias relevantes, você está no jogo. Sua idade ou geração é apenas um detalhe, um pano de fundo, quando sua verdadeira essência for entregar o que se comprometeu a fazer, de forma ética e eficaz.

“A” pergunta (risos) Você tem planos para alguma apresentação em Atibaia e Região ainda este ano?

(risos), possivelmente, logo após o lançamento do livro teremos uma série de palestras de lançamento do livro. Podemos sim fazer uma em Atibaia. Só programar com antecedência.

Agradecemos a participação do grande Edu Carmello e esperamos a publicação de seu livro bem como uma palestra aqui em Atibaia!

3 pensamentos sobre “Coluna Perfil: Eduardo Carmello e a Gestão da Singularidade!

  1. Oi. Assisti a sua entrevista no Canal da Justiça do trabalho e fiquei encantada com o que foi dito sobre a gestao no serviço publico ( sou servidora publica) e ja passe por pelo menos 4 chefias que como vc. disse muito bem seguem o modelo comando/controle e sem conhecer o serviço e sem houvir o servidor nada acrescentam a não ser desconforto geral.. Sou da area de Saude Terapeuta Ocupacional e a partir de hoje sua fã. Parabens!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s