“Título do Cargo” – Sebastião Perossi fala sobre a falta de padronização no cenário corporativo

Foto por energepic.com em Pexels.com

Você entende que o título do cargo é fundamental na sua decisão para aceitar uma oportunidade de trabalho? Você ficaria preocupado se, numa mudança de emprego, o título do cargo na nova empresa  possa representar uma diminuição de responsabilidade e isto impactar na sua carreira? O Título do cargo deve expressar a função, ou seja as atividades que são realizadas dentro do processo de trabalho?

Espero que as respostas acima não tenham sido sim, pois no mundo corporativo não há, em geral, uma padronização e/ou harmonização de nomenclaturas que são utilizadas para definir o nome do cargo.

Olhando para as diferentes profissões existente no mercado de trabalho identificamos algumas de caráter legal  onde na maioria das empresas o título é o mesmo (Ex.: Técnico de Segurança do Trabalho, Advogado, Médico do Trabalho), pois existe uma legislação que regula estas funções.

Na maioria dos cargos não há legislação que regula as nomenclaturas, por isso as diferenças em razão dos segmentos de atuação, cultura e origem do capital.

Em teoria, quando olhamos para os cargos da estrutura hierárquica das organizações, poderia ocorrer uma padronização, mas isto não acontece. Estamos falando de Presidente, Diretor, Gerente, Supervisor, Coordenador, que é possível encontrar o  cargo de Coordenador acima de Supervisor e, em outras, o Supervisor está acima. Até no nível de Gerente é possível identificar algumas diferenças como a figura do Gerente Sr. Também é comum neste cenário a utilização de  títulos de Gerente ou de Supervisor que não tem gestão de pessoas e sim de processos ou de contas.

Mas é na família dos cargos de natureza administrativa, técnica e operacional que encontramos maiores diferenças. Tem nomenclaturas que seguem claramente o papel  realizado (Ex.: Analista de Contas a Pagar) ou são mais genéricos (Ex.: Analista Financeiro).

Este comportamento também ocorre nos cargos com carreira onde é comum encontrar dentro das trilhas Jr, Pl, Sr ou I, II, III, ou A, B, C.

A dica para você que é usuário das nomenclaturas dos cargos, é entender o seu papel, nível de responsabilidade, competências requeridas e oportunidade de crescimento de carreira. A dica para você que atua na definição dos títulos dos cargos nas empresas, é buscar sempre que possível um alinhamento com o mercado, principalmente dentro segmento de atuação da sua empresa. A dica, para você que atua no processo de recrutamento e seleção, é não descartar nenhum candidato pelo título do cargo atual e/ou histórico dos títulos existentes.

E para concluir lembro que o paradigma salarial não está vinculado ao título do cargo e sim a função que é realizada.

Artigo de Sebastião Augusto Perossi

Saiba mais em: https://sapconsultoria.com.br/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s