Vai pedir demissão? Siga estes passos para continuar querido por todos

Especialistas ensinam a manter as portas abertas ao deixar um emprego

Seu maior desafio no trabalho atualmente é se livrar dele? Você não está sozinho. Um levantamento realizado no fim do ano passado com mais de 4 mil brasileiros pela Love Mondays, plataforma em que profissionais avaliam as empresas onde trabalham, mostrou que 70% desejam mudar de emprego.

Se você já fez o checklist completo (veja quadro no fim desta reportagem) e chegou à conclusão de que, realmente, não existem mais perspectivas futuras, é hora de partir. Mas qual a melhor maneira de fazer isso?

Em primeiro lugar, seja honesto em relação ao motivo. “A comunicação deve ser feita sempre ao gestor imediato, de forma cordial e sincera, e com uma antecedência de pelo menos duas semanas”, diz Camila Asenjo, diretora de Pessoas e Organização da Generali Brasil Seguros. E, por mais insatisfeito que você esteja, não é hora de discutir a relação – isso deve ser feito antes de tomar a decisão, não depois.

Se o chefe não retribuir toda a sua educação? “Vá preparado para fazer cara de flor de plástico”, diz a job hunter Tais Targa, especialista em recolocação e carreira.

Ela aconselha a manter a calma e a postura, e a deixá-lo falar, mesmo que você não concorde com o que está sendo dito. “Encare esse tipo de reação como mais um sinal de que você tomou a decisão certa. E mantenha a cabeça erguida”.

A última impressão é a que fica

Vencida essa etapa, é hora de se preparar para a fase mais delicada: os últimos dias de trabalho.

“Esse período curto, de um mês ou menos, pode manchar uma reputação construída durante anos”, afirma Tais. Ou seja, prepare-se para mostrar serviço como se fossem seus primeiros dias no emprego: cumpra horário e prazos, coloque-se à disposição para treinar um eventual substituto, faça um relatório de todas as suas atividades e o status de cada uma e passe tudo por e-mail para o seu chefe, demonstre respeito pelo seu superior e por todos da equipe.

“Não deixe as emoções interferirem. Use todas as suas forças e sua paciência para exercer os últimos dias com foco e competência. É essa atuação que vai ficar na memória de todo mundo”, afirma a especialista.

“Se necessário, em algumas situações, mesmo depois da saída, vale deixar todos os contatos e se colocar à disposição para tirar dúvidas ou responder questões que acabaram não sendo discutidas”, completa Camila Asenjo.

Por mais que você não pense em voltar para a empresa nesse momento, é importante deixar as portas abertas. O mundo dos negócios é pequeno. E dá voltas.

Antes de partir

Como avaliar se a demissão é a melhor decisão

– Olhe para a situação e perceba o que está funcionando, o que está aprendendo e se, realmente, não pode tirar nada de positivo dela.

– Avalia se não existe a possibilidade, no médio ou longo prazo de conquistar o objetivo, como salário melhor, mais desafios.

– Não tome nenhuma atitude se estiver deprimido. Procure um tratamento médico primeiro e avalie a situação quando estiver bem psicologicamente

– Responda às seguintes perguntas: “Eu acredito no futuro desta organização?”, “Aprendo continuamente com meu gestor e colegas de trabalho?”, “O meu ambiente de trabalho é agradável?”, “Sou reconhecido pelo meu gestor e colegas?”, “Tenho oportunidade de contribuir?”, “Enxergo meus próximos passos aqui dentro?” Se a resposta for não, é hora de procurar novos rumos.

O problema sou eu

Conexão com propósito de vida, oportunidades de crescimento e remuneração são os fatores mais levados em conta pelos brasileiros na hora de trocar de emprego, segundo a pesquisa da Love Mondays. Luciana Caletti, cofundadora e CEO da plataforma, orienta como dar o feedback para o chefe em cada caso:

► Quero um trabalho mais conectado com meu propósito de vida (29.6%)

“Trocar de emprego em busca de um trabalho que se conecte mais com seus valores pessoais é uma atitude geralmente admirada pelos gestores, pois demonstra que o profissional quer fazer diferença atuando em algo que é importante para ele. Explique por que você acredita que a empresa atual não poderia oferecer as oportunidades que você busca e compartilhe o que espera alcançar com sua decisão.”

► Pouca oportunidade de crescimento (28.9%)

“Se você está trocando o emprego atual por um cargo melhor – ou por uma empresa que lhe ofereça melhores oportunidades de crescimento –, vale expor isso de forma sincera, mas com tato, e sem parecer rancoroso. Explique que você vai desenvolver diferentes habilidades na nova posição e que está mudando por uma oportunidade de se desenvolver mais rápido.”

► Remuneração abaixo do desejado (24.6%)

“Embora possa parecer algo mais simples de comunicar, é preciso ter em mente que, se o aumento prometido pela nova empresa não for tão superior ao seu salário atual, há boas chances de você receber uma contraproposta. Considere essa possibilidade com antecedência e reflita sobre o que você deseja fazer caso isso aconteça. Vale a pena aceitar uma contraproposta? Ou há outros fatores que pesam na sua decisão? Se não deseja ficar na empresa mesmo com um salário maior, explique ao seu empregador que você espera adquirir novas experiências e novos aprendizados, e que não se trata apenas do salário.”

Como NÃO pedir demissão

Para sair da empresa sem queimar o filme, jamais:

– Lave roupa suja no RH, muito menos nas redes sociais

– Fale mal da empresa, do chefe, dos colegas. Não faça nenhum tipo de fofoca

– Avise um dia antes de sair

– Comunique externamente antes de avisar ao gestor imediato

Fonte: Você S/A

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s